Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/06/19 às 14h14 - Atualizado em 11/06/19 às 9h47

Missa do Tempo Pascal convida à reflexão sobre as mudanças necessárias a cada um

 

Procuradores e Servidores da PGDF participaram, nesta quarta-feira (5), da Missa do Tempo Pascal em Ação de Graças pela PGDF, celebrada pelo Bispo Auxiliar de Brasília, Dom Marcony.

 

Organizada por uma dedicada comissão de servidores, a Missa foi uma pausa para refletir pelo tempo presente, a Páscoa: passagem de uma vida para outra vida. Um processo de renovação de cada um, consigo mesmo.

 

Nesse sentido, confira abaixo alguns trechos da homilia proferida por Dom Marcony:

 

“Há uma missão que você tem de cumprir nesse mundo. Não sejamos obtusos e não fechemos a nossa vida simplesmente na correria que o mundo nos impõe. Uma correria de ganhar para gastar, e gastar para ganhar mais, cada vez mais. Algo que não nos sacia, que não nos realiza. Nossa vida vale muito mais. ”

 

“Mudar em quê? Cada um sabe. […] A sua consciência lhe diz em que você precisa mudar. As mudanças às vezes são pequenas, você não precisa fazer nada extraordinário. Mas às vezes o perdão a alguém, a ajuda, a caridade, o colocar os seus dons. O pecado não está só em fazer coisas ruins. Está em deixar de fazer o bem.”

 

“Nós estamos na Procuradoria. O que é que Jesus está pedindo para você aqui dentro? Será que tem alguém com quem você ainda não fala? Será que tem alguém para quem você não dá atenção? Será que às vezes a soberba e a autossuficiência sobem [à cabeça] pelo poder ou pelo título que eu tenho? Será que eu reconheço quem me serve um cafezinho? Ou quem me abre a porta de um elevador? Isso também é Páscoa, filhos amados.”

 

“Se a gente for sensível nas pequenas coisas, Deus fará milagres no nosso ambiente de trabalho.”

 

“Como é bom quanto a gente chega num ambiente de trabalho e tem alguém ali no que nos ensina! Quando a gente entra como ‘calouro’, mesmo tendo muito na cabeça, passado num concurso, etc. Quando a gente chega ali, é outro ambiente, não conhece as pessoas… O que eu vou fazer? Que passos eu vou dar? E aí tem um Cirineu[1] que chega e diz: faz assim, faz assado. Nos ajuda, nos ensina. É um frater, um irmão nosso para nos ajudar no ambiente de trabalho. Vamos pedir a Deus que sejamos também Cirineus para tantos que, carregando a sua cruz, querem simplesmente um abraço, uma escuta.”

 

“Metade da nossa vida a gente passa com a família. A outra metade, a gente passa aqui. Então, é preciso que antes da aposentadoria vocês transformem esse ambiente em família, para que todos nós reconheçamos uns aos outros e cresçamos como família. Como é bom a gente estar num ambiente em que a gente se sinta bem. Onde a gente trabalhe bem, combatendo o bom combate e guardando a fé os princípios que aprendemos de Nosso Senhor”.

 

[1] Referência a Simâo Cirineu, homem que ajudou Jesus a carregar a cruz no árduo percurso do Pretório até o Gólgota.

Missa do Tempo Pascal