Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/05/14 às 11h02 - Atualizado em 29/10/18 às 10h42

Servidores da PGDF embarcam para Áustria e Holanda pelo programa Brasília sem Fronteiras

 

Nesta semana, quatro servidores da PGDF aprovados no primeiro processo seletivo do programa Brasília sem Fronteiras embarcam para Haia, na Holanda, e Krems, na Áustria. Camila Klumb e George Rosa, da Assessoria Jurídica do Gabinete, e Arthur Almeida, da PROFIS, farão o curso Liderança em Gestão Pública na Universidade de Ciência Sociais Aplicadas de Haia, na Holanda. Já Fernando Fernandes, da Gerência de Execução Orçamentária e Financeira (GEOFI/UAG), viajará para Krems, na Áustria, onde cursará o programa da Universidade de Ciências Aplicadas de Krems sobre Liderança em Gestão Pública para Cidades Competitivas e Inovadoras.

A expectativa não poderia ser melhor. Para Camila Klumb, a imersão cultural é um dos pontos altos do programa. Ela ressalta que “fazer o curso fora, em uma Universidade internacional, proporciona vivenciar um pouco a rotina estudantil e cidadã em outra cultura, o que trará experiências memoráveis para todos os participantes”. Já Arthur Almeida, da PROFIS, espera alcançar uma visão diferenciada sobre a gestão pública e os modos de torná-la mais eficiente. “Acredito que, vendo na prática as alternativas exitosas na Holanda, poderemos trazer algo de proveitoso para ser implementado nos nossos trabalhos”, declarou.

O conhecimento adquirido nos cursos, que terão duração aproximada de um mês, também trará benefícios para a prática diária na PGDF. George Rosa, da ASSJUR, buscará conhecer experiências bem-sucedidas em gestão pública em um país desenvolvido que podem ser replicadas em Brasília. “Apesar de a PGDF não lidar com políticas públicas tanto quanto as demais Secretarias de Estado, essa nova visão proporcionada pelo curso certamente servirá para balizar as análises empreendidas na PGDF, em especial na parte consultiva, área na qual atuo”, destacou.

Fernando Fernandes, da GEOFI, também espera conhecer novas práticas possíveis de serem aplicadas em Brasília. “Acredito que esse curso irá me auxiliar a ter uma visão maior sobre a Administração Pública, além de revelar novas práticas que são utilizadas no exterior e podem ser aplicadas em Brasília, entre outros benefícios indiretos”, analisa o servidor. Ele destaca, ainda, o ganho pessoal que a imersão cultural proporcionará. “Além de esperar por um curso excelente, espero também conhecer novas pessoas, novas culturas, novos países e ainda aprender sobre cidades inteligentes”, afirma.