Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
14/06/19 às 10h36 - Atualizado em 17/10/22 às 17h59

Perfil do Procurador: Valéria Ilda Duarte Pessoa

Valéria Ilda Duarte Pessoa é Procuradora do DF há 23 anos. Começou sua atuação no Direito muito jovem, aos 19 anos, mas nunca teve dúvidas de que essa era a profissão que desejava seguir. Aqui na PGDF já ocupou os cargos de Procuradora-Geral Adjunta, de Chefe de Gabinete e de Assessora do Procurador-Geral.

 

Além do trabalho realizado na Procuradoria e na advocacia privada, Valéria também dedica uma atenção especial a dois projetos: exerce a função de secretária-geral da Associação Brasileira de Mulheres Advogadas (ABRA) e integra o comitê de políticas públicas do Grupo Mulheres do Brasil (conheça aqui).

 

Na ABRA, a atuação foi bastante significativa nos movimentos políticos de 2018, com a campanha “Mais Mulheres no Poder 50% Já”, o que resultou na nomeação de várias associadas em cargos públicos.

 

Na entidade “Mulheres do Brasil”, acaba de iniciar os trabalhos no Comitê de Políticas Públicas e em grupos temáticos que almejam o bem-estar das mulheres, onde é feito um trabalho de empoderamento e qualificação das mulheres no mercado de trabalho: “São feitas palestras ministradas por mulheres bem-sucedidas que explicam como foi a trajetória delas e como elas conseguiram ter sucesso. Dessa forma, muitas mulheres atendidas se reintegram e até encontram uma nova atividade profissional”.

 

A Subprocuradora-Geral do DF explica que começou a participar dos projetos por entender que “as mulheres passaram muito tempo sendo discriminadas, em completa desigualdade. O que a gente quer é igualdade de oportunidades, nem mais e nem menos, apenas as mesmas oportunidades que os homens têm”.

 

Fora o trabalho na advocacia, Valéria aproveita seu tempo disponível para viajar. A melhor experiência foi o curso de doutorado realizado na Universidade Complutense de Madrid, na Espanha. “Não só aprendi o Direito deles, mas também aprendi sobre a cultura do país e fiz muitos amigos”, diz.

 

Apesar das boas histórias, Valéria passou por uma experiência desagradável: “Fiz uma viagem para o oriente médio em fevereiro, viajei para quatro países: Líbano, Omã, Qatar e Irã. Fui retida no aeroporto de Doha (Capital do Qatar). Fiquei três horas sendo interrogada diante de todas as pessoas, mostrei todos os meus documentos. Aí eles falaram que meu passaporte era fraudado, fui investigada por várias pessoas diferentes publicamente. Eu tive que responder as mesmas perguntas várias vezes. Eu recomendo às mulheres não irem lá sozinhas”.

 

Hoje Valéria afirma que encontrou seu caminho ideal da maturidade e o seu verdadeiro equilíbrio: “Eu também tenho o meu lado espiritual. Sou católica, frequento a igreja e participo dos Arautos. Tento equilibrar minha vida para que eu possa fazer um pouco de cada coisa”, finaliza.